CARREGANDO

Busca

Uma cadeira motorizada para a Ivani

Redação O Garibaldense 01/03/2019
Filha Fernanda criou a campanha para ajudar a mãe, tetraplégica / Geder Luis Gütler

A vida da funcionária pública municipal Ivani Salete Chibarte Garcia mudou radicalmente, há quatro anos. Ao sair de casa, na rua Café Filho, no bairro Bela Vista I, no dia 6 de fevereiro de 2015, para comprar leite no armazém da esquina, foi atropelada por um motociclista. O acidente a deixou tetraplégica.

“Ao descer na calçada a moto pegou só na perna, ela caiu e ficou desacordada. O motoqueiro levantou o capacete, viu e fugiu”, conta a filha Fernanda, que está sempre ao seu lado e reside praticamente encostada na residência dos pais.

Depois de uma série de exames constatou-se a fratura na medula. Ela passou por uma cirurgia, mas não recuperou mais os movimentos. Para cuidar da mãe, Fernanda saiu do emprego e ficou um ano dedicada à Ivani. “Eu acreditava que ela fosse voltar a caminhar, o que não aconteceu”, diz. Ivani já passou por vários lugares, como o Centro Sara, em Brasília.

Ao voltar a trabalhar como técnica em Enfermagem, no Hospital Beneficente São Roque, de Carlos Barbosa, foi contratada uma cuidadora. Ivani, 61 anos, sofre de depressão e não aceita suas limitações. Sem falar muito, disse apenas uma frase marcante à reportagem do O Garibaldense, que foi até sua casa: “Minha vida acabou no acidente”.

Como fica sentada o dia todo numa cadeira de rodas, no lugar que for deixada, Fernanda, com o objetivo de dar mais mobilidade e tentar mudar seu estado de espírito, criou uma campanha no Facebook, as chamadas Vakinhas, para arrecadar fundos e comprar uma cadeira de rodas motorizada.

“Ela adorava visitar as vizinhas, quem sabe pode voltar a sair e fazer algumas coisas, amenizar, dar mais qualidade de vida”, diz Fernanda. Com R$ 10 mil, ela acredita que consegue comprar, sendo que já foi obtido R$ 4 mil. “Eu coloquei R$ 15 mil, se conseguir mais de R$ 10 mil, eu farei uma rampa de acesso para ela ir lá em casa, para ela trocar de ambiente”. Fernanda é casada e tem uma filha.

Com a mudança de governo, o Estado deixou de dar os medicamentos que ela precisa, e custam cerca de R$ 300. Ivani ganha R$ 1.400 de aposentadoria, sendo que R$ 1 mil ficam para cuidadora. “O pai faz letreiros e tem dias que não entra nada. Não é fácil”, lamenta a filha.

Com o título de ‘Motivação para uma vida melhor’ a Vakinha tem o endereço http://vaka.me/468710. Até o momento 49 pessoas ajudaram na campanha. As doações também podem ser feitas pela conta poupança 00080718-3 no Sicredi, agência 0167, em nome de Fernanda Garcia.

Outras notícias

Clima e temperatura

 

Online O Garibaldense

O primeiro jornal de Garibaldi

Colunas populares
Curta nossa página