CARREGANDO

Busca

Pela reabertura do comércio

Redação O Garibaldense 18/06/2020
Lojistas realizaram manifestação em frente à prefeitura indignados com a bandeira Vermelha / Geder Luis Gütler

Uma manifestação popular, promovida por um grupo de lojistas, na tarde desta quarta-feira, 17, culminou em frente à sede da prefeitura pedindo a reabertura do comércio. O fechamento ocorreu depois que a Serra recebeu a bandeira Vermelha do governador Eduardo Leite. A concentração foi em frente à La Perm, loja do organizador do ato, Marcelo Tepouven. O chamamento para o evento foi através de um grupo no Watts.

“Esse grupo está unido desde que começou a pandemia para tentar achar uma solução, porque a situação está difícil, temos aluguel e impostos. Estamos sendo punidos indevidamente... Não estou dizendo que alguns segmentos deveriam estar fechados, eu acho que a economia tem que funcionar, mas tem muita coisa errada. Queremos mostrar que somos uma classe unida e temos representatividade”, destacou Marcelo.

Para Adriane de Barros, da Loja Dress, a situação dos lojistas é injusta. “As outras empresas, talvez, com número de funcionários reduzidos, estão funcionando, e nós não, deveria avaliar melhor”, acredita ela. Ronaldo Dias Pereira, da Ponto 10, avalia que a situação está complicada. “Ficamos há um tempo atrás fechados, agora de novo, e sabemos que não vai acabar, lá na frente as coisas vão piorar e pode fechar de novo”, lamenta.

Andressa Frá, da Cromachic, também considera uma injustiça. “Se não mostrarmos a força que temos não vamos conseguir mudar essa situação, tão injusta, o comércio não aglomera as pessoas, como em outros lugares”.

Com destino a prefeitura, os lojistas, todos com máscaras, seguiram pela Av. Independência, depois passaram pela Buarque de Macedo e Júlio de Castilhos. Portavam cartazes com os dizeres: ‘O Covid não nos matou, mas os políticos nos matarão’. Um lojista fez um cartaz com uma crítica à aquisição de um veículo Corolla, pela Câmara de Vereadores. “Zé do Corolla, devolve o nosso dinheiro, R$ 120.000’, dizia o cartaz. Alguns vestiam camisas da Seleção Brasileira e carregavam bandeiras do Brasil.

Na chegada ao Centro Administrativo Municipal, o prefeito Antonio Cettolin e vários secretários esperavam os manifestantes que gritavam: ‘Queremos trabalhar’.

Cettolin pediu para retirar a máscara para falar e parabenizou a manifestação. “Vocês têm meu apoio, vamos entrar na justiça para reverter e ser bandeira Amarela”, iniciou dizendo. Destacou, ainda, a participação da comunidade no combate ao vírus. “O governo do Estado contratou uma empresa que trabalha regionalmente e tem municípios que não fizeram o dever de casa como nós”. Ao ser questionado sobre a fiscalização, o prefeito salientou que será só para orientar os lojistas.

Tepouven queria do prefeito uma posição que permitisse o comércio aberto, como Farroupilha. Cettolin disse que o problema não era somente a fiscalização local, mas existem outras que são do Estado. “Existem quatro tipos de fiscalização, você pode escapar do rato e o gato te pegar, cuidado. Cada um é dono do seu estabelecimento e faz o que bem entender”, orientou. Depois de mais algumas indagações, a manifestação encerrou e Cettolin ficou ainda conversando com algumas lojistas.

Outras notícias

Clima e temperatura

 

Online O Garibaldense

O primeiro jornal de Garibaldi

Colunas populares
Curta nossa página